---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

culturamafra
Prefeitura de Mafra, em parceria com a UnC, promovem a primeira “live” do Cenpáleo

Publicado em 20/05/2020 às 09:05 - Atualizado em 20/05/2020 às 09:06

No primeiro dia de comemoração da 18ª Semana Nacional dos Museus, o Centro de Paleontologia da Universidade do Contestado – Museu da Terra e da Vida chegou à casa de centenas de internautas através da PaleoLive, realizada na tarde da ultima segunda-feira, dia 18, com transmissão pelo facebook da Prefeitura de Mafra. A ação foi uma realização da Prefeitura e da Universidade do Contestado, numa idealização dos departamentos de Cultura e de Turismo do Município.

Essa foi a primeira “live” do Cenpáleo e teve duração de cerca de 40 minutos, chegando  a centenas de pessoas, de diversas partes do mundo, como Estados Unidos, Canadá e Inglaterra.   Teve por finalidade mostrar um pouco do Museu da Terra e da Vida, de Mafra, para não deixar a Semana Nacional dos Museus sem a participação desse importante representante do segmento do turismo local.  Além da “live” já realizada, a Semana seguirá com outros vídeos específicos do Museu, que serão postados nas mídias sociais, em especial nas fanpages de facebooks das duas instituições.

 

Passeio pelas salas do Museu

A PaleoLive foi uma viagem pela cultura e pela história do Cenpáleo. Iniciou com o Professor Doutor Luiz Carlos Weinschütz apresentando a equipe de profissionais que atuam no Centro, descrevendo o que os visitantes do Museu da Terra e da Vida encontram nas salas.  Da Sala da Origem do Universo passou-se para a Sala da Terra, onde encontram-se curiosidades como a rocha “varvita” que,  segundo ele , “contem sozinha  uma pequena fase de um grande livro da vida”.

Na sequência foi apresentada a Sala dos Fósseis – Sala da Vida Antiga, uma viagem pelos períodos paleontológicos que o mundo passou, com mostras de fósseis priorizando a região.   No Museu encontram-se fósseis da região sul do país – PR, SC e RS -  como do Arcosauro,  um grande vertebrado do Rio Grande do Sul. O passeio da “live” continuou pela Sala dos Grandes Répteis que andaram pelo Hemisfério Sul, mais especificamente na América do Sul e Brasil, entre 220 a 150 milhões de anos atrás,  com replicas de dinossauros, incluindo o mais antigo  Dinossauro Brasileiro conhecido, o Stauricosaurus Pricei, além de fósseis de répteis alados.  O grande momento foi na fala dos Grandes Répteis, onde se encontram várias réplicas, entre elas uma réplica do esqueleto de um titanossauro. A última a ser visitada foi a Sala da Vida Atual, onde podem ser vistos animais empalhados, que foram atropelados nas BRs que cortam a região, (projeto em parceria coma Autopista), além de outros exemplares doados.

A PaleoLive contou com a participação da equipe do Cenpáleo: Professor Doutor Luiz Weinschütz; Professor Mestre  Everton Wilner; Professor Mestre  João H. Z. Ricetti; Professora Mestra Cristiane Pscheidt e Graduanda em Ciência Biológicas, Larissa Froegel, além do técnico de filmagens da Prefeitura de Mafra, Lucas Gabril Reis.  A “live” continua visível no facebook da Prefeitura de Mafra.

 

Cenpáleo

O Cenpáleo é um centro de pesquisas em paleontologia da região Norte de Santa Catarina e tem por objetivo salvaguardar o patrimônio Paleontológico e Geológico de forma geral, promover a pesquisa e a divulgação do conhecimento científico Paleontológico, enfatizando o material proveniente do planalto Norte Catarinense.

Mantido pela Universidade do Contestado, situado no campus Mafra, é composto por Reserva Técnica (Acervo/Coleção Científica), Laboratórios e Setor Administrativo. O Museu da Terra e da Vida constitui a parte expositiva do Cenpáleo. Trata-se de museu de história natural com foco no patrimônio fóssil brasileiro, em especial do norte catarinense; promove também atendimentos de visita no museu e saídas a campo, visando integrar a sociedade com o meio científico-acadêmico.

Foi fundado em 1997 por iniciativa do então Diretor Presidente da Universidade do Contestado, Prof°.Msc. Mário Fritsch. Foi idealizado e gerido pelo Prof°.Dr°. Oscar Rösler até o ano 2005 na ocasião de sua aposentadoria, quando o Prof°. Dr°. Luiz Carlos Weinschütz assumiu sua coordenação, seguindo com o desenvolvimento do Centro Paleontológico até os dias presentes.

 

Apoio ao desenvolvimento do Turismo

O museu recebe entre 6 e 7 mil visitantes por ano, já atingindo a soma de 75 mil visitantes. Possui cerca de 500 peças em exposição, mais de 15 mil fósseis catalogados e cerca de 20 mil por catalogar. Seu acervo encontra-se entre as 10 maiores coleções de paleontologia do Brasil.


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar